Esta fotografia é uma metáfora visual. Simboliza o núcleo de Vida, entendendo-a como a Natureza, as Gentes e as suas Culturas, rodeados pela adversidade.

É um sinal e um clamor em memória dos povos da Peneda e do Gerês.



sábado, 14 de novembro de 2009

Movimento vai onde o PNPG se recusa ir

Ontem, dia 13-11-09, pelas 20h30, elementos do Movimento Peneda Gerês Com Gente deslocaram-se à Ribeira (freguesias de Louredo, S. João da Cova e Ventosa, todas do Concelho de Vieira do Minho) para informarem a população local sobre o processo de revisão em curso.
Estranhamente estas gentes foram excluídas do processo, não lhes tendo sido facultados os documentos nem a informação disponibilizados.
Apesar de estas freguesias não estarem inseridas dentro do perímetro do PNPG, possuem os seus baldios dentro da área protegida, nos Concelhos de Terras de Bouro e de Montalegre.
Foram alertados para as principais restrições que lhes podem ser impostas com este novo plano, designadamente de não residentes e no pastoreio.
Este envolvimento das populações está a produzir coisas fantásticas. Sabiam que o lugar da Ermida nasceu há cerca de 300 anos a partir de uma cabana de pastores da Ribeira?
Sabia que a vezeira da Ribeira atravessa o Rio Cávado de barco?
Tanta riqueza patrimonial, histórica e cultural! Tanto manancial para explorar!
Temos de cativar as Universidades a virem estudar o território na óptica das populações.

3 comentários:

  1. Pois claro!... Já que os técnicos e dirigentes do PNPG têm andado a gozar férias por conta, de todos nós, doze meses por ano há pelo menos mais de trinta anos e já que, quando aborrecidos de tanta ociosidade, decidem fazer alguma coisa, é só para fazerem maldades, à Natureza e às populações, haja quem tenha a lucidez e o bom senso de tomar iniciativas sadias e seguir por outros caminhos!...

    ResponderExcluir
  2. Por achar que deveremos estar todos juntos na luta contra este POPNPG e por um PNPG melhor. Por achar que nas nossas diferenças deveremos encontrar a força que nos deve unir. Por amar a terra onde vocês nasceram, onde vivem mas que é de todos nós. Estarei no dia 18 ao vosso lado para contestar essa gente que se recusa a escutar, a ver e a sentir o bater da realidade do PNPG.

    ResponderExcluir
  3. é bem verdade, ja me cruzei varias vezes com essa vezeira... tanto na largada do gado para as terras altas como na Cabana de Pinhô que tanto é partilhada pela vezeira de Fafião como a da Ribeira... alias a Cabana/forno da Vezeira da Ribeira ainda esta la quase no meio do prado...

    Nao cresci, nem estudei em Portugal e minhas referências também não são de cà embora minhas raizes sejam portuguesas...mas fico indignada com a falta de conhecimento e orgulho nas nossas tradições que certas instituições têm. A mim parece me que esses técnicos ou dirigentes ou seja la quem for NÃO conhecem e casa que estão a gerir... muito mau...

    ResponderExcluir